quarta-feira , 24 de maio de 2017
Home / Blog / Estudo aponta que óleo de Lippia alba pode acalmar tilápia-do-nilo durante transporte

Estudo aponta que óleo de Lippia alba pode acalmar tilápia-do-nilo durante transporte

Representação esquemática do experimento com uso de óleo essencial de Lippia alba no transporte de tilapia do Nilo. Fonte: Carlos Eduardo Copatti
Representação esquemática do experimento com uso de óleo essencial de Lippia alba no transporte de tilapia do Nilo. Fonte: Carlos Eduardo Copatti

A tilápia-do-nilo (Oreochromis niloticus) atualmente é uma das espécies mais cultivadas do mundo. Trata-se de um peixe com grande capacidade de adaptação, baixo custo de produção, elevada resistência a doenças, atingindo peso comercial em pequeno intervalo de tempo. Além disso, sua carne é de alta qualidade, o que possibilita excelente aceitação dos consumidores

Os últimos dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MPA, 2014) mostram que o país produz 1,25 milhões de toneladas de peixe, e deste total, 38% de peixes de aquacultura. A atividade gera um PIB de R$ 5 biliões e mobiliza mais de 800 mil profissionais, proporcionando 3,5 milhões de empregos diretos e indiretos.

No entanto, esse mercado aquecido exige que que essa espécie de peixe tenha que ser constantemente transportada para chegar até o mercado. Condição essa que faz aumentar o estresse do animal.

Para propor uma alternativa a essa situação, o estudo “Óleo essencial de Lippia alba no transporte de tilápia-do-Nilo”, publicado no volume 47, número 3, da Revista Ciência Rural, teve como objetivo verificar a ação do óleo essencial de Lippia alba (EOLA) na resposta de estresse para o transporte de tilápia-do-Nilo Oreochromis niloticus . Os peixes foram transportados por 8 horas, sob três tratamentos (triplicata) e os níveis plasmáticos de glicose foram significativamente menores em peixes expostos a 20µL L-1 de EOLA, em relação com o grupo controle e os peixes expostos a 10µL L-1 de EOLA, mas, cortisol, lactato e paraoxonase plasmáticos foram similares. Amônia não-ionizada e taxa de ventilação demonstraram redução significativa nos tratamentos com EOLA.

Com isso, conclui-se que o uso de 20µL L-1 de EOLA é indicado para o transporte de tilápia-do-Nilo.

Para acessar o artigo na íntegra, acesse:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782017000300403&lng=en&nrm=iso&tlng=en

Leandro Rocha (4toques comunicação)
comunicacao@abecbrasil.org.br

Sobre Leandro Rocha

Veja também

mel

Pesquisadores propõem regulamentar produção mel de abelhas sem ferrão para aprimorar sua comercialização

Entre os doces que fizeram parte da mesa do brasileiro durante as últimas gerações, o ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil