segunda-feira , 6 de dezembro de 2021
Home / Blog / Artigo aborda a missão política da diversidade, equidade e inclusão sob o ponto de vista do Psicodrama

Artigo aborda a missão política da diversidade, equidade e inclusão sob o ponto de vista do Psicodrama

Questões relacionadas à diversidade, equidade e inclusão (DEI) vêm ganhando visibilidade crescente e fortalecendo um importante movimento global para transformar os rumos da história e da sociedade. Em função da responsabilidade pela divulgação científica, de modo especial esse movimento deve influenciar editores-chefes e todos os atores envolvidos no processo editorial.

O artigo “O Psicodrama confirma missão política da diversidade, equidade e inclusão”, foi produzido pela pesquisadora Heloisa Junqueira Fleury, para a Revista Brasileira de Psicodrama, periódico associado à ABEC Brasil. No artigo, pode-se observar que, em 2020, a humanidade foi desafiada pela síndrome respiratória coronavírus 2 (SARS-CoV-2), altamente transmissível, responsável pela nova doença coronavírus (COVID-19). Com o agravante do distanciamento social, as dificuldades psicossociais se acentuaram.Outro desafio recente citado foi a sensibilização e mobilização desencadeadas pelas graves consequências do racismo estrutural que levou ao assassinato de George Floyd, nos Estados Unidos.

Ainda de acordo com o artigo, diversidade refere-se a presença de diferenças, como raça, gênero, religião, orientação sexual, etnia, nacionalidade, status socioeconômico, língua, deficiência, idade, posicionamento político e inclui populações com menos representação na área. Equidade envolve promoção da justiça, valorização da imparcialidade e garantia de direitos de acesso aos processos e distribuição de recursos pelas instituições ou sistemas.

A condição para mudança exige a compreensão das causas que levam às disparidades em nossa sociedade. Inclusão significa conseguir que indivíduos diversos se sintam e sejam de fato bem-vindos, podendo participar dos processos de tomada de decisão e das oportunidades de desenvolvimento dentro de uma organização ou grupo (Extension Foundation 2021).

Outra citação feita pela autora no artigo foi o webinar, promovido pela Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC Brasil), sobre “Equidade de sexo e gênero na pesquisa e na publicação”. A apresentação foi feita por Shirin Heidari (2021), pesquisadora sênior do Graduate Institute of International and Development Studies em Genebra, Suíça, e consultora técnica sênior de gênero na unidade de Gênero, Equidade e Direitos Humanos na Organização Mundial de Saúde.

A palestrante é reconhecida como defensora de políticas e práticas da equidade de sexo e gênero na pesquisa, e abordou as diferenças entre sexo e gênero, pela influência no poder e em oportunidades, fonte de opressão e inequidades. Além disso, ressaltou a necessidade de balancear sexo e gênero nos desenhos de pesquisa para evitar generalização excessiva e inadequada dos resultados.

Para ler o artigo completo, acesse: https://revbraspsicodrama.org.br/rbp/article/view/2318-0498.00509/473

Sobre Leandro Rocha

Veja também

school-classroom-with-books-backpack

As políticas de não repetência nos sistemas estaduais de ensino do Brasil

As políticas de não repetência continuam sendo alvo de polêmicas no cenário educacional brasileiro. Parte ...

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil