quinta-feira , 18 de abril de 2024
Home / Todas as Notícias / Acontece / SBPC divulga vencedoras do 3º prêmio “Carolina Bori Ciência e Mulher”

SBPC divulga vencedoras do 3º prêmio “Carolina Bori Ciência e Mulher”

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) divulgou, dia 20/01, as vencedoras do 3º prêmio “Carolina Bori Ciência e Mulher”, que nesta edição premia “Mulheres cientistas”, categoria dedicada às pesquisadoras de instituições nacionais que tenham prestado relevantes contribuições à ciência e à gestão científica, além de terem realizado ações em prol da ciência e da tecnologia nacional. Uma comissão julgadora se reuniu no dia 16 de dezembro para deliberar e selecionar as vencedoras da terceira edição do prêmio em três grupos de áreas do conhecimento. As vencedoras foram: Nilma Lino Gomes (Humanidades), Gulnar Azevedo e Silva (Biológicas e Saúde), e Beatriz Leonor Silveira Barbuy (Engenharias, Exatas e Ciências da Terra).

Além da vice-presidente da SBPC, Fernanda Sobral, e da diretora da entidade, Miriam Grossi, compuseram essa comissão: Vanderlan da Silva Bolzani, professora titular do IQAr-Unesp, presidente da Academia de Ciências do Estado de SP; Lucile Maria Floeter Winter, presidente da Sociedade Brasileira de Protozoologia; Valderez Pinto Ferreira, presidente da Sociedade Brasileira de Geoquímica; e Debora Foguel, professora titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro e membro do Conselho da SBPC.

Este ano, a cerimônia de premiação será novamente virtual e será realizada no dia 11 de fevereiro, com transmissão pelo canal da SBPC no YouTube, às 10h30. A data do evento foi escolhida em celebração ao Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, instituído pela Unesco.

Vencedoras do prêmio

Nilma Lino Gomes é Pedagoga/UFMG, mestra em Educação/UFMG, doutora em Antropologia Social/USP e pós-doutora em Sociologia/Universidade de Coimbra e em Educação pela UFSCAR. Professora Titular Emérita da Faculdade de Educação da UFMG. Integra o corpo docente permanente da pós-graduação em educação Conhecimento e Inclusão Social -FAE/UFMG. Foi Coordenadora Geral do Programa de Ensino, Pesquisa e Extensão Ações Afirmativas na UFMG (2002 a 2013) e, atualmente, integra a equipe de pesquisadores desse Programa. Integrou a Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (gestão 2010 a 2014). Foi reitora Pró-Tempore da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – UNILAB (2013-2014). Foi Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial -SEPPIR – (2015) e do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial, da Juventude e dos Direitos Humanos (2015-2016) do governo da presidenta Dilma Rousseff. É membro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), Associação Brasileira de Antropologia (ABA), Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN).Tem interesse nas seguintes áreas de investigação: diversidade, cultura e educação, relações étnico-raciais e educação, formação de professores e diversidade étnico-racial, políticas educacionais, desigualdades sociais e raciais, movimentos sociais e educação, com ênfase especial na atuação do movimento negro brasileiro.

Gulnar Azevedo e Silva possui graduação em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro em 1978, mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 1991 e doutorado em Medicina pela Universidade de São Paulo em 1997. Foi coordenadora de prevenção do Instituto Nacional de Câncer entre 2003 e 2007. É professora do Instituto de Medicina Social (IMS) – UERJ desde 2000 e em janeiro de 2019 foi aprovada como professora titular. Desenvolve pesquisas no campo da epidemiologia de doenças crônicas não-transmissíveis com ênfase na epidemiologia aplicada à avaliação de políticas de prevenção e controle do câncer. É bolsista de produtividade do CNPq e do programa Cientistas do Nosso Estado da FAPERJ. Faz parte do Steering Committee do programa global de vigilância da sobrevida em câncer (CONCORD), liderado pela London School of Hygiene & Tropical Medicine (LSHTM). Foi presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO) entre agosto de 2018 e julho de 2021.

Beatriz Leonor Silveira Barbuy possui graduação em Bacharelado em Física pelo Instituto de Física da Universidade de São Paulo (1972). Atualmente é professora titular do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo, atuando principalmente nos seguintes temas: espectroscopia, diagrama cor magnitude, aglomerados globulares, síntese de populações e evolução estelar. É membro da Academia Brasileira de Ciências, Academie des Sciences e Third World Academy of Sciences (TWAS).

Sobre Leandro Rocha

Veja também

Parecer ABEC Brasil 2023

 

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil