quarta-feira , 29 de maio de 2024
Home / Associados / Avaliação do absenteísmo associado a distúrbios bucais entre policiais e bombeiros do Estado de São Paulo

Avaliação do absenteísmo associado a distúrbios bucais entre policiais e bombeiros do Estado de São Paulo

O absenteísmo por doenças é reconhecido como um problema de saúde pública mundial, tendo grandes impactos econômicos e sociais. Ademais, informações a respeito destas condições em bombeiros, policiais e outros profissionais de serviços armados são muito escassas. Desta forma, o estudo “Avaliação do absenteísmo associado a distúrbios bucais entre policiais e bombeiros do Estado de São Paulo – um estudo de coorte censitária”, teve como objetivo analisar os afastamentos odontológicos do quadro de servidores da Polícia Militar do Estado de São Paulo em 2017. A autora do estudo é a professora Susana Morimoto, da Universidade Ibirapuera.

Para a avaliação, foram coletados os dados demográficos, funcionais e relacionados ao tipo de afastamento (plataforma logística SIGs – Saúde) para cálculo das razões de chances entre as variáveis sócio-demográficas e funcionais e convalescença (afastamentos de até 10 dias). Foi calculado também o índice de gravidade, de frequência e de duração média das ausências odontológicas, bem como o comparativo com os afastamentos por motivos médicos no mesmo período.

Foram identificados 80.928 afastamentos relacionados a condições bucais. As características funcionais, sócio-demográficas e da doença odontológica estiveram associadas a convalescença, ou seja, policiais acima de 50 anos, do interior de SP e afastados por lesões de cárie, condições pulpares ou doença periodontal estiveram associados à presença de afastamento de até 10 dias. Na Polícia Militar, em 2017, houve uma média de perda de serviço de 2h/pessoa/ano exclusivamente por motivo odontológico. A duração média das ausências foi de 2,21 dias.

Assim, parece que quanto maior a idade e mais distante da capital paulista, maior o número de dias de absenteísmo de bombeiros e policiais militares do Estado de São Paulo. O envelhecimento no contexto ocupacional é um forte fator para o absenteísmo. Cárie e doença periodontal também estão altamente relacionadas ao absenteísmo quando comparadas às demais doenças odontológicas.

Por fim, dentro das limitações presentes, os resultados do presente estudo sugerem a importância da prevenção e promoção de saúde bucal no quadro de servidores da PM do Estado de São Paulo.

Confira o material na íntegra: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v11i6.28912

 

Sobre Leandro Rocha

Veja também

O que aprendemos com os desastres causados por eventos hidrológicos extremos no Brasil?

Os perigos naturais são definidos como um processo ou fenômeno natural que podem causar perdas ...

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil