quinta-feira , 23 de janeiro de 2020
Home / Blog / Apresentando-se bem com o Currículo Lattes

Apresentando-se bem com o Currículo Lattes

 

Por Eduardo Graziosi Silva

 

 

Atualmente, a Internet é a primeira fonte utilizada para pesquisas. Além de disponibilizar informações sobre diversos assuntos, também apresenta informações sobre pessoas. E no meio acadêmico brasileiro, quando se fala de procurar pessoas na Internet, a primeira ferramenta que vem a mente é o Currículo Lattes.

A partir da década de 1980, surgiu a necessidade de criar um formulário padrão para o registro dos currículos dos pesquisadores brasileiros. Esse formulário foi lançado no início dos anos 1990, mas foi somente em 1999 que o Currículo Lattes, desenvolvido pelos grupos de pesquisa Stela da Universidade Federal de Santa Catarina e C.E.S.A.R da Universidade Federal de Pernambuco, foi lançado. Considerado como o “cartão de visitas” dos pesquisadores brasileiros, o Currículo Lattes é comumente utilizado como o currículo padrão, dentre outros, para a participação em processos seletivos de pós-graduação e solicitações de bolsas de estudos.

Para tanto, há que se apresentar um bom “cartão de visitas”, podendo ser feito a partir de quatro passos. Dessa forma, deve-se criar corretamente o Currículo Lattes. Nesse primeiro passo, o pesquisador cadastra as seguintes informações: Informação pessoal, Endereço e contato, Formação acadêmica, Atuação profissional e Área de atuação, sendo que apenas a informação pessoal não é divulgada, mas é solicitada para uso interno do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq). Criado o currículo, o segundo e mais importante passo é o preenchimento, ou seja, a inserção das informações nos lugares adequados. Atualmente, existem doze módulos de informações: Dados gerais, Formação, Atuação, Projetos, Produções (subdivide-se em Produção Bibliográfica, Produção Técnica e Outra produção artística/cultural), Patentes e Registros, Inovação, Educação e Popularização de C&T, Eventos, Orientações, Bancas e Citações. Em cada módulo é possível inserir diversas informações, porém, há casos em que não existe um campo para uma informação específica. Verifica-se, por exemplo, a inexistência de um campo exclusivo para “iniciação científica”, da mesma forma que algumas informações de diferentes módulos também podem ser encontradas em Educação e Popularização de C&T, mas nele recomenda-se incluir apenas as informações referentes à divulgação científica, como é o caso de um artigo publicado na revista Ciência Hoje, que tem um enfoque e um público mais abrangentes do que um periódico científico. Além disso, o Currículo Lattes permite inserir palavras-chave em alguns campos, como os artigos completos publicados em periódicos, sendo recomendado preenchê-las, haja vista que podem facilitar a recuperação de um currículo.

O terceiro passo trata da atualização do currículo. Sendo o “cartão de visitas” do pesquisador, é importante que reflita seu perfil acadêmico e profissional, ou seja, deve apresentar todas as atividades, publicações, projetos, orientações e demais informações pertinentes passadas, presentes e em andamento. Isso contribui não somente para uma boa apresentação do pesquisador, como demonstra sua autoridade e competência em determinada área científica, facilitando, ainda, a recuperação das informações. Para tanto, é recomendado que a atualização seja feita, preferencialmente, a partir das fontes primárias, como documentos comprobatórios (por exemplo, certificado de participação em eventos) e  artigos publicados. Por fim, o quarto passo diz respeito à manutenção do currículo e envolve a revisão das informações, ou seja, verificar se cada informação está no lugar correto e se está adequada e completa. A manutenção também é um passo necessário para que os usuários do Currículo Lattes não enfrentem problemas éticos pelo fornecimento de dados falsos ou uso indevido de dados de terceiros, pois casos públicos de mau uso dessa ferramenta levantaram questões como sua vulnerabilidade, a rigidez no seu controle e a responsabilidade pela verificação das informações.

Um Currículo Lattes bem estruturado permite não somente uma apresentação condizente com o perfil acadêmico e profissional do pesquisador, como também contribui para a solicitação de diferentes tipos de auxílio para a realização das mais diversas atividades científicas. Além disso, a completude das informações demonstra cuidado no preenchimento e consideração aos usuários que pesquisam pelo seu currículo. Mais do que disponibilizar informações, um Currículo Lattes apresentável contribui para conectar pesquisadores e, assim, possibilitar o avanço e a visibilidade da ciência nacional no Brasil e no mundo.

 

 

Eduardo Graziosi Silva é bacharel em Biblioteconomia e Ciência da Informação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Atuou como bibliotecário no Camargo Silva, Dias de Souza Advogados e foi membro do Grupo de Informação e Documentação Jurídica de São Paulo (GIDJ/SP). Atualmente é bibliotecário do SVBIBL/EESC-USP.

Sobre ABEC Brasil

Veja também

Basic RGB

A imunologia e o desenvolvimento cerebral e de transtornos psiquiátricos

  Neste contexto, os autores James F. Leckman, Pedro G. de Alvarenga, Beatriz Ravagnani e ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil