segunda-feira , 21 de agosto de 2017
Home / Blog / Pesquisadores propõem regulamentar produção mel de abelhas sem ferrão para aprimorar sua comercialização

Pesquisadores propõem regulamentar produção mel de abelhas sem ferrão para aprimorar sua comercialização

Entre os doces que fizeram parte da mesa do brasileiro durante as últimas gerações, o mel, certamente, está entre os prediletos. O produto, que ajuda a movimentar a economia do país, responde por uma produção média de 10 kg por colmeia. De acordo com a Confederação Brasileira de Apicultura, nos próximos dez anos o mercado mundial deve aumentar sua demanda de mel em 170 mil toneladas.mel

Por esses e por tantos outros motivos, o mel tem sido cada vez mais alvo de análises minuciosas por parte dos pesquisadores. O estudo desenvolvido por cientistas do Núcleo de Agroecologia da Embrapa Meio-Ambiente, de Jaguariúna e do Grupo de Engenharia de Processos (GEPC) do Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), de Campinas, teve como objetivo esclarecer as peculiaridades do Mel de Abelhas Sem Ferrão e apresentar uma proposta de Regulamento Técnico de Identidade e Padrão. A intenção é possibilitar sua comercialização no Estado de São Paulo, contribuindo assim para a disponibilidade de um produto seguro e de qualidade para o consumidor final.

Para divulgar esse trabalho, os pesquisadores Ricardo Costa Rodrigues de Camargo, Karen Linelle de Oliveira e Maria Isabel Berto elaboraram o artigo “Mel de abelhas sem ferrão: proposta de regulamentação”, publicado pela revista Brazilian Journal of Food Technology (v.20 – jan/2017), do ITAL/Campinas, associada da ABEC. De acordo com a publicação, por ser mais ácido e apresentar maior teor de umidade, seu sabor é peculiar e sua viscosidade é menor quando comparada ao mel proveniente da espécie exótica Apis mellifera. Devido a essas diferenças, esse produto necessita do estabelecimento de parâmetros físico-químicos específicos que sejam referência tanto para controle de qualidade como para sua comercialização. “Os méis das abelhas sem ferrão são produtos únicos da biodiversidade brasileira, presentes e valorizados pela cultura popular desde os povos originais das Américas”, observam os especialistas.

Também segundo o artigo, a diversidade de flora e biomas do Brasil e a grande variedade de espécies de abelhas sem ferrão existente conferem a esse mel um enorme potencial para produção e valorização dessa variedade de méis produzidos por essas abelhas. Além da importância econômica para os produtores, esse produto possui características sensoriais diferenciadas dos méis tradicionalmente consumidos no Brasil, tornando-o um produto com alto valor agregado.

Confira o artigo na íntegra em:  http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-67232017000100900&lng=pt&nrm=iso&tlng=en

 

Leandro Rocha (4toques comunicação)

comunicacao@abecbrasil.org.br

Sobre Leandro Rocha

Veja também

revisao

Revista traz artigo sobre a gestão no processo de revisão de textos

Talvez possa parecer, mas escrever não é tão fácil. Ainda mais se você quer ter ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil