segunda-feira , 20 de agosto de 2018
Home / Blog / História e arte latino-americanas são tema do Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi

História e arte latino-americanas são tema do Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi

fundo_Artboard 2Uma aula de história da arte é o que oferece um dossiê sobre “Ilustração arqueológica e etnográfica nas Américas”, que o Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas publicou em seu mais recente número. Com organização de Claudia Mattos Avolese, da Unicamp, sete autores discutem interpretações e representações do que, na América Latina, resultou em formas de se ver grupos humanos e de apresentá-los nas mais diversas instâncias do poder.

A edição vol. 12, n. 2, maio-ago 2017, que já está disponível no SciELO, inclui outros onze artigos, um item na sessão Memória e duas resenhas. O Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas é o mais antigo periódico em circulação na Amazônia brasileira e, desde 2016, é publicado em formato exclusivamente eletrônico http://www.museu-goeldi.br/editora/humanas/index.html e acessível também no Issuu, em http://issuu.com/bgoeldi_ch

No dossiê, as análises descortinam o quanto, em arte, muitos dos elementos de então se transformaram. Esse é o caso do artigo de Claire Farago, pesquisadora da Universidade de Colorado, Estados Unidos, que penetrou um mundo de imagens em “retrato” ou “ilustração etnográfica”. Em “The face of the other: the particular versus the individual”, a autora analisa usos e interpretações dos gêneros e chama sociedade, política e história na problematização da perspectiva do observador e do observado. Confira em https://goo.gl/32Cdf

A ilustração arqueológica nos Andes do século XVI ao XIX é do que trata Joanne Pilsbury, do MoMA – Metropolitan Museum of Art. Seu argumento demonstra como a imagem rouba do texto a influência para construir conhecimento sobre a região. Confira no artigo “Ilustración arqueológica en los Andes (1850-1890)”. Veja o artigo completo em https://goo.gl/32Cdf.

Já na proposta de Byron Ellsworth Hamann, linearidade e fragmentação no desenho são alvo da discussão. O autor estudou exemplos da América Central, desde a suas origens nas expressões de desenhos sobre botânica, e aponta que a “leitura” das partes pode interferir no significado. Confira em “Bruno Latour no jardim da ilustração arqueológica”, disponível em https://goo.gl/32Cdf

Uma política que despossui populações originárias num exercício de assimilação do passado tendo como prática a apropriação indébita. O exercício de poder em tempos idos está claro no trabalho de Adam Sellen, da Universidad Nacional Autónoma de México. Em “Giving shape to the past: Pre-columbia in nineteenth-century Mexican literary journals”, o autor demonstra como a elite criolla produziu uma identidade nacional baseada em imagens publicadas na revista “El Museo Mexicano” utilizando elementos pré-colombianos. Saiba mais em https://goo.gl/32Cdf

Escultura e pintura

Do campo das esculturas, vem o trabalho de Luciano Migliaccio. Ao tempo da Corte de D. Pedro II a produção de esculturas foi incentivada e está em logradouros públicos no Brasil. Professor da USP e curador de exposições, o autor discute o uso de imagens arqueológicas e etnográficas nos trabalhos de artistas como Ferdinand Pettrish e de Louis Rochet. Leia a íntegra do artigo “Arqueología, etnografía y el contexto artístico en Brasil en el Segundo Reinado: las obras de los escultores Ferdinand Pettrich y Louis Rochet” em https://goo.gl/32Cdf

Visitas a monumentos e o estudo de gravuras e desenhos da Antiguidade, realizados durante viagem à Itália no ano de 1834 pelo artista Manuel Araújo Porto-Alegre, foram definitivos para a sua formação e carreira no Brasil. Confira, de Letícia Squeff, “A Grand Tour de um brasileiro: a importância da Itália nas ideias de Manuel de Araújo Porto-Alegre”, em https://goo.gl/Gu63LB

Cuias e cachimbos, motivos asiáticos e artistas modernistas. Mãos indígenas pintaram os motivos na Monte Alegre jesuíta e artistas como Manoel Pastana e Theodoro Braga se inspiraram nessa tradição como elemento de renovação de sua obra autoral. Leia de Renata Maria Almeida Martins: “Cuias, cachimbos, muiraquitãs: a arqueologia amazônica e as artes do período colonial ao modernismo”, publicado em https://goo.gl/32Cdf

Jimena Felipe Beltrão, jornalista e editora científica do Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas

Sobre Leandro Rocha

Veja também

Senior woman with her walking stick

Artigo científico mostra estudo de revisão da sarcopenia (perda de massa muscular) em idosos

A sarcopenia é a perda da massa muscular esquelética, associada à redução da força muscular ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil