sexta-feira , 4 de dezembro de 2020
Home / Blog / Uso de dados e o combate à febre Chikungunya no Pará

Uso de dados e o combate à febre Chikungunya no Pará

Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

Atualmente, muito se sabe sobre a febre Chikungunya. Qual o vírus, vetores, formas de contágio, transmissão, sintomas, entre outros. Detalhes importantes para combater a doença, caso de saúde pública no Brasil nos últimos anos. Mesmo assim, a análise de dados obtidos pelos sistemas carece de informações. E isso influencia na hora da elaboração de políticas públicas eficazes contra o problema. 

Posto isso, Andrey Oeiras Pedroso, Laura Maria Vidal Nogueira, Ivaneide Leal Ataíde Rodrigues, Lidiane de Nazaré Mota Trindade e Vivian Lucia Aslan D’Annibale elaboraram o artigo “Análise do sistema de vigilância epidemiológica da febre de Chikungunya no Estado do Pará”, publicado na Revista Cogitare Enfermagem, v. 25, de 2020, periódico associado da ABEC Brasil.

O trabalho analisa o Sistema de Informação de Agravos de Notificação quanto à sua aceitabilidade, pontualidade e qualidade dos dados da febre Chikungunya no Estado do Pará, entre 2015 e 2017. Para isso, foi feito um estudo epidemiológico com verificação de 17.148 casos da doença no local. Em seguida, observados os resultados, elaboraram a conclusão.

Para os autores, o sistema mostrou pontualidade para coleta dos dados, mas atraso na produção da informação. No quesito aceitabilidade, a variação entre os municípios foi entre 22,92 e 65,28%, com diferença da completude das variáveis obrigatórias e das essenciais. Portanto, há a necessidade de revisar o processo de trabalho para minimizar as deficiências e fragilidades do Sistema.

O texto completo pode ser lido em https://bit.ly/3luCEBJ ou pelo DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v25i0.65540.

Tadeu Nunes (4toques comunicação)
comunicacao@abecbrasil.org.br

Sobre Leandro Rocha

Veja também

Closeup shot of an elderly woman's wrinkled hands

O psicodrama na preparação para a aposentadoria

A aposentadoria traz um estilo de vida bem diferente. Nova rotina, mais tempo livre, outras ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil