sexta-feira , 27 de maio de 2022
Home / Todas as Notícias / Acontece / SBPC divulga vencedoras do 3º prêmio “Carolina Bori Ciência e Mulher”

SBPC divulga vencedoras do 3º prêmio “Carolina Bori Ciência e Mulher”

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) divulgou, dia 20/01, as vencedoras do 3º prêmio “Carolina Bori Ciência e Mulher”, que nesta edição premia “Mulheres cientistas”, categoria dedicada às pesquisadoras de instituições nacionais que tenham prestado relevantes contribuições à ciência e à gestão científica, além de terem realizado ações em prol da ciência e da tecnologia nacional. Uma comissão julgadora se reuniu no dia 16 de dezembro para deliberar e selecionar as vencedoras da terceira edição do prêmio em três grupos de áreas do conhecimento. As vencedoras foram: Nilma Lino Gomes (Humanidades), Gulnar Azevedo e Silva (Biológicas e Saúde), e Beatriz Leonor Silveira Barbuy (Engenharias, Exatas e Ciências da Terra).

Além da vice-presidente da SBPC, Fernanda Sobral, e da diretora da entidade, Miriam Grossi, compuseram essa comissão: Vanderlan da Silva Bolzani, professora titular do IQAr-Unesp, presidente da Academia de Ciências do Estado de SP; Lucile Maria Floeter Winter, presidente da Sociedade Brasileira de Protozoologia; Valderez Pinto Ferreira, presidente da Sociedade Brasileira de Geoquímica; e Debora Foguel, professora titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro e membro do Conselho da SBPC.

Este ano, a cerimônia de premiação será novamente virtual e será realizada no dia 11 de fevereiro, com transmissão pelo canal da SBPC no YouTube, às 10h30. A data do evento foi escolhida em celebração ao Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, instituído pela Unesco.

Vencedoras do prêmio

Nilma Lino Gomes é Pedagoga/UFMG, mestra em Educação/UFMG, doutora em Antropologia Social/USP e pós-doutora em Sociologia/Universidade de Coimbra e em Educação pela UFSCAR. Professora Titular Emérita da Faculdade de Educação da UFMG. Integra o corpo docente permanente da pós-graduação em educação Conhecimento e Inclusão Social -FAE/UFMG. Foi Coordenadora Geral do Programa de Ensino, Pesquisa e Extensão Ações Afirmativas na UFMG (2002 a 2013) e, atualmente, integra a equipe de pesquisadores desse Programa. Integrou a Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (gestão 2010 a 2014). Foi reitora Pró-Tempore da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – UNILAB (2013-2014). Foi Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial -SEPPIR – (2015) e do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial, da Juventude e dos Direitos Humanos (2015-2016) do governo da presidenta Dilma Rousseff. É membro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), Associação Brasileira de Antropologia (ABA), Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN).Tem interesse nas seguintes áreas de investigação: diversidade, cultura e educação, relações étnico-raciais e educação, formação de professores e diversidade étnico-racial, políticas educacionais, desigualdades sociais e raciais, movimentos sociais e educação, com ênfase especial na atuação do movimento negro brasileiro.

Gulnar Azevedo e Silva possui graduação em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro em 1978, mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 1991 e doutorado em Medicina pela Universidade de São Paulo em 1997. Foi coordenadora de prevenção do Instituto Nacional de Câncer entre 2003 e 2007. É professora do Instituto de Medicina Social (IMS) – UERJ desde 2000 e em janeiro de 2019 foi aprovada como professora titular. Desenvolve pesquisas no campo da epidemiologia de doenças crônicas não-transmissíveis com ênfase na epidemiologia aplicada à avaliação de políticas de prevenção e controle do câncer. É bolsista de produtividade do CNPq e do programa Cientistas do Nosso Estado da FAPERJ. Faz parte do Steering Committee do programa global de vigilância da sobrevida em câncer (CONCORD), liderado pela London School of Hygiene & Tropical Medicine (LSHTM). Foi presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO) entre agosto de 2018 e julho de 2021.

Beatriz Leonor Silveira Barbuy possui graduação em Bacharelado em Física pelo Instituto de Física da Universidade de São Paulo (1972). Atualmente é professora titular do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo, atuando principalmente nos seguintes temas: espectroscopia, diagrama cor magnitude, aglomerados globulares, síntese de populações e evolução estelar. É membro da Academia Brasileira de Ciências, Academie des Sciences e Third World Academy of Sciences (TWAS).

Sobre Leandro Rocha

Veja também

Close up image of womans hands typing on laptop at workplace. Businesswoman with white wristwatch on hand working on computer in office. Female office worker, programmer, entrepreneur searching online

Inscrições abertas para o programa de bolsas de pesquisa Capes-Humboldt

No Programa de Bolsas para Pesquisa Capes-Humboldt, a verba será concedida a pesquisadores(as) do Brasil ...

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil