quinta-feira , 20 de junho de 2024
Home / Blog / Psicodrama: a importância do acolhimento em grupos

Psicodrama: a importância do acolhimento em grupos

psicodramaAcolher ao próximo é uma atitude que deveria nortear as relações humanas em todos os níveis, independentemente da situação. No entanto, pode ter funções ainda mais benéficas em alguns casos. O artigo “A importância do acolhimento e do aquecimento em grupos sem demanda no contexto da Justiça”, de Stela Dalva Abritta; Fernanda Cunha Fontoura Roquee Maria Eveline Cascardo Ramos, publicado na Revista Brasileira de Pisicodrama, joga luz à percepção de que o acolhimento é fundamental para a relação terapêutica, psicoterapêutica ou socioterapêutica e apresenta o aquecimento como fase inicial para o desenvolvimento da sessão e do processo grupal.

De acordo com a publicação, a forma especial de receber a pessoa, com compreensão, estímulo e qualificação, caracteriza o bom acolhimento e as leva a acreditar que esses atributos passam a permear as relações desenvolvidas nos grupos. “Nos trabalhos sem demanda espontânea, como os socioterapêuticos, tem-se visto que o acolhimento que valoriza a compreensão do indivíduo e de seu comportamento viabiliza o conhecimento da qualidade de suas relações na família, o locus da agressividade denunciada (OSÓRIO, 2002)”, menciona trecho da publicação.

A referência para este artigo são os grupos de homens envolvidos em violência doméstica; entretanto, a reflexão não se atém apenas à demanda desses homens, mas de um sem-número de pessoas que estão em grupos ligados à justiça, à assistência ou outros grupos não inseridos em um projeto de mudança. Nesse trabalho, empregou-se a abordagem psicodramática que busca dar voz ao outro por meio da ação com recursos para quebrar o estagnado e o estereotipado, promovendo novas respostas.

Segundo a autoras, também faz parte do acolhimento e do aquecimento, o cuidado com o espaço físico disponibilizado para o desenvolvimento do trabalho, que deverá ser um local apropriado, capaz de oferecer segurança, conforto e privacidade, favorecendo o tratamento mais cuidadoso das questões que surgem no grupo. “Vale ressaltar que acolhimento e aquecimento são fenômenos interdependentes e muito próximos em sua qualidade, pois os dois significam movimentos de aceitação e empatia necessários à evolução da relação terapêutica”, ressalta a publicação.

Consta no trabalho que, na sessão psicodramática, métodos de aquecimento preparatório são utilizados para estimular o corpo e a mente para atitudes e atuações espontâneas. Ele, contudo, se faz necessário não só no início da sessão ou do processo grupal, mas durante esses processos, no momento em que surge alguma dificuldade para avançar no processo ou na ação. “Seguindo essa metodologia, há registros de que o trabalho em grupos tem promovido amplas mudanças no comportamento desses homens, pois foi registrado um número muito pequeno de reincidência”, constatam os autores.

Confira o artigo na íntegra:

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-53932015000200002

Leandro Rocha (4toques comunicação)

comunicacao@abecbrasil.org.br

 

Sobre Leandro Rocha

Veja também

O que aprendemos com os desastres causados por eventos hidrológicos extremos no Brasil?

Os perigos naturais são definidos como um processo ou fenômeno natural que podem causar perdas ...

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil