quarta-feira , 23 de setembro de 2020
Home / Blog / Pesquisa observa forma de utilização do fertilizante revestido ureia minimizando os efeitos nocivos à qualidade do solo

Pesquisa observa forma de utilização do fertilizante revestido ureia minimizando os efeitos nocivos à qualidade do solo

Fertilizantes são utilizados na agricultura para melhorar a produção, aumentando o número de nutrientes necessários para o crescimento das plantas. No entanto, a aplicação desses produtos também causa uma perda significativa de nitrogênio do solo, o que afeta produções futuras. Por isso, são estudadas técnicas diferentes de manejo para driblar o problema.

fertilizantes-ilustrativoO fertilizante revestido, que entre suas características minimiza o risco de lixiviação (empobrecimento do solo causado pela lavagem da camada superficial da terra pelas águas da chuva), é uma das soluções para melhorar a recuperação de nitrogênio das plantas em solos mais pobres em nutrientes. E para aprimorar a sustentabilidade da produção agrícola são necessários estudos práticos que mostrem como diferentes revestimentos materiais influenciam a liberação dos nutrientes para as plantas.

Dessa maneira, os autores Geisa Lima, Fernando César Bachiega Zambrosi e Heitor Cantarella, do Instituto Agronômico – Centro de Solos e Recursos Ambientais, desenvolveram o estudo “A practical approach for assessing the efficiency of coated urea on controlling nitrogen availability” (Uma abordagem prática para avaliar a eficiência da ureia revestida no controle da disponibilidade de nitrogênio, na tradução livre), publicado na Revista Bragantia, v. 76, nº 2, de abril-junho de 2017, periódico associado da ABEC.

Para a pesquisa, foi utilizado um fertilizante ureia, que é revestido e solúvel, em milho ao longo de três ciclos de crescimento, cada um com 40 dias. Para fazer a avaliação, foram medidas a disponibilidade do nitrogênio no solo ao longo do tempo, quantificando o crescimento e absorção do elemento nas plantas, utilizando colheitas sequenciais de brotações durante os ciclos, sob condições de temperatura e quantidade de adubo controladas.

O artigo conclui que é possível diferenciar a liberação de nitrogênio das fontes de fertilizantes revestidas com o tratamento proposto, sendo assim, um método adequado para avaliar a eficiência desses produtos. Por fim, afirmam que a abordagem prática pode ser utilizada pela indústria em programas de qualidade de adubos para registrar os materiais de revestimento em agências reguladoras, dependendo da longevidade do revestimento usado na plantação.

O artigo completo pode ser lido em https://goo.gl/v9RdGJ ou pelo DOI http://dx.doi.org/10.1590/1678-4499.034.

Tadeu Nunes (4toques comunicação)
comunicacao@abecbrasil.org.br

Sobre Leandro Rocha

Veja também

Fabrica_artigo ABEC

Os benefícios do lean manufacturing em empresas de médio porte

  Você sabe o que é lean manufacturing? A prática, criada no Japão e aplicada ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil