sexta-feira , 3 de julho de 2020
Home / Blog / Sal rosa do Himalaia: substituto mais saudável do sal de cozinha?

Sal rosa do Himalaia: substituto mais saudável do sal de cozinha?

Pink salt from the HimalayasA preocupação com uma alimentação saudável ganha cada vez mais adeptos no mundo todo. E existem desde os mais radicais, na adoção de dietas restritivas, até os mais simples, como a troca de alguns produtos de uso diário. O sal rosa do Himalaia, por exemplo, tem sido um destes que ganhou destaque na mesa dos brasileiros. Mas qual será a diferença de características entre ele o sal comum?

Neste contexto, os autores Anne Borges de Bastos, Hugo Rafael do Amaral Carvalho, Cláudia Cândida Silva e Lídia Medina Araújo produziram o artigo “Análise e comparação da composição química inorgânica do sal de cozinha com o sal rosa do Himalaia pelo método de fluorescência de raios-X por dispersão de ondas”, publicado no The Journal of Engineering and Exact Sciences, v. 3, n. 4, de 2017, periódico associado da ABEC.

O estudo buscou identificar a composição química inorgânica do sal rosa e do sal de cozinha, comparar os resultados obtidos e determinar as diferenças entre eles. Para isso, foram utilizadas duas amostras de cada um, submetidas à análise qualitativa e quantitativa através do método de fluorescência de raios-X por dispersão de ondas.

Os dois apresentaram índices variados para cloreto e para sódio – com uma concentração de sódio menor no sal rosa. O sal do Himalaia também conservou grande parte de seus nutrientes do solo, enquanto o de cozinha mostrou concentrações menores de minerais, devido a aditivos, principalmente.

A similaridade das amostras ainda foi avaliada através de uma análise preliminar de agrupamento hierárquico de grupos (HCA), que mostrou a presença de dois grupos distintos de sais. No entanto, segundo os autores, são necessárias mais análises multivariadas para determinar se o sal rosa pode ser uma alternativa maior de fonte de mineiras e menor de teor de sódio para substituir o sal comum.

O artigo completo pode ser acessado em http://bit.ly/2Jv1D5t ou pelo DOI https://doi.org/10.18540/jcecvl3iss4pp0678-0687.

Tadeu Nunes (4toques comunicação)
comunicacao@abecbrasil.org.br

Sobre Leandro Rocha

Veja também

The pipes of the plant rise above the forest. Industrial landscape. Harmful environmental production. Environmental pollution. Smoke from the chimneys. Soot station.

Impactos ambientais da produção de botijões de gás

As ações humanas possuem um importante desdobramento no meio ambiente. Grandes indústrias, produtoras de energias ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

//analytics natashaprimati@gmail //analytics natasha@abecbrasil